#dandopausenofimdomundo

Pausa de 18/10/2015 a 01/11/2015


Contato com uma natureza inóspita.

Com o intuito de deixar de lado os movimentados centros urbanos para viver uma experiência nova e entrar em contato direto com uma natureza pura, decidimos ir para a parte sul da Patagônia Argentina e Chilena. Dê um play no vídeo abaixo e confira como foram os melhores momentos dessa viagem até o fim do mundo.

 Mirante para o famoso Glaciar Perito Moreno, uma geleira próxima à cidade de El Calafate.

Mirante para o famoso Glaciar Perito Moreno, uma geleira próxima à cidade de El Calafate.

Como o dólar e euro estavam bem altos nessa época, pensamos que a Patagônia (por estar na América do Sul) seria uma alternativa de viagem mais barata. Erro nosso! Tudo era cobrado baseado no dólar o que deixava tudo muito caro. Então, já vá preparado.

Em compensação, as paisagens da Patagônia são muito mais lindas do que tínhamos imaginado. Os lugares são inóspitos e a dimensão deles faz você se sentir insignificante, o silêncio é absoluto e o vento muito forte (capaz de te derrubar), fazendo diminuir a sensação térmica mesmo no verão. Nessa época, as temperaturas iam de 3ºC à 18ºC.

Falando em clima, decidir o período da viagem é importantíssimo. A melhor época para fazer os trekkings e apreciar a natureza vai de outubro à março, pois a temperatura é mais amena, não tem neve, quase não chove e os dias são muito mais longos - o que te permite fazer trilhas sem pressa. Porém, os ventos são mais fortes e constantes.

Decidimos ir no início da média temporada porque a neve teria acabado de derreter e as trilhas estariam mais vazias.

 Vista para o Maçico Paine, no Parque Nacional Torres del Paine (Chile)

Vista para o Maçico Paine, no Parque Nacional Torres del Paine (Chile)

Outro ponto importante: para não ter chateações na viagem é necessário investir em roupas sintéticas e equipamentos impermeáveis e respiráveis, como botas de trekking de qualidade, meias apropriadas, primeira pele, segunda pele, casacos quentinhos, calça e blusa impermeáveis, luvas, protetor solar, touca, cachecol, enfim, se prepare para um clima instável, começando o dia com sol e terminando debaixo de chuva ou neve.

Nosso roteiro pela região foi de 14 dias e conseguimos visitar tranquilamente as seguintes cidades: El Calafate, El Chaltén, Torres del Paine e Ushuaia.


Roadtrip pela Rota 40


Decidimos viajar de carro pelas estradas da Patagônia por causa das lindas paisagens na famosa Rota 40. Era difícil não parar a cada 10km para tirar fotos, pois o visual do trajeto era inacreditável.

 Vista da estrada "Ruta 40" num lugar bem próximo de El Chaltén. Ao fundo, o imponente Fitz Roy.

Vista da estrada "Ruta 40" num lugar bem próximo de El Chaltén. Ao fundo, o imponente Fitz Roy.

 O cenário da Rota 40 era tão bonito que parávamos a cada 15 minutos para fotografar.

O cenário da Rota 40 era tão bonito que parávamos a cada 15 minutos para fotografar.

Informações gerais da nossa viagem:

  • Os trechos da nossa roadtrip foram: El Calafate > El Chaltén > Torres del Paine (Chile) > El Calafate
  • Média de 6h a 8h de estrada por cada trecho, isso contando algumas (muitas) paradas para fotos.
  • Aluguel de carro pequeno para 5 dias: R$ 2.000,00 - o nosso carro era um Ford Ka.
  • Gasolina: por volta de R$ 400,00 para a viagem toda.
  • Tivemos que habilitar o carro para poder atravessar a fronteira. Para isso pagamos US$ 80,00 de taxa alfandegária logo na retirada do carro.
 Guanacos bem próximos ao acostamento, no Rota 40.

Guanacos bem próximos ao acostamento, no Rota 40.

 Avestruz que encontramos na beira da estrada Y-150, em Torres del Paine.

Avestruz que encontramos na beira da estrada Y-150, em Torres del Paine.

Pontos de atenção:

  • Não esqueça a carteira internacional de habilitação.
  • Certifique-se de que o carro alugado está em perfeitas condições (lembre-se, as estradas são muita desertas).
  • Não é necessário um GPS, pois existe basicamente uma opção de rota para se chegar aos lugares. Basta um mapa simples que custa $75,00 em El Calafate.
  • É obrigatório dirigir com os faróis acesos, mesmo durante o dia.
  • Cuidado com o limite de velocidade. Os trajetos longos e o vazio das estradas te faz querer pisar no acelerador.
  • MUITO cuidado com os animais que atravessam a pista (guanacos, coelhos e outros animais selvagens).
  • Cuidado com os ventos fortes, eles podem até tirar o seu carro da estrada. (quanto maior a velocidade do carro, maior o descontrole).
  • GASOLINA! Planeje os pontos de parada para abastecimento. Existem pouquíssimos pontos com gasolina.

Confira abaixo cada um dos trechos: